sexta-feira, 6 de março de 2009

Quando o Castigo é Inevitável

Texto: Jeremias 8:4-10

Para compreendermos o contexto desse texto, se faz necessário analisar o seu contexto.
Israel estava em declínio espiritual. A espiritualidade estava sendo completamente desvirtuada dos parâmetros de Deus. O templo passou a ocupar lugar de destaque na vida religiosa. Os sacrifícios e os holocaustos tornaram-se verdadeiros instrumentos para se alcançar a bênção de Deus. O povo caminhava em seus próprios caminhos; não aceitava disciplina; negligenciava os mandamentos do Senhor; endurecia cada vez mais seu coração,
de maneira que não andava para diante, mas andava para trás.

Esse é um perfil espiritual que tem muito haver com a realidade dos nossos dias. Há um esfriamento pairando sobre o povo de Deus. Há uma onda de religiosidade devastando e suprimindo qualquer vestígio de espiritualidade perceptível na vida da Igreja. A artificialidade tem suplantado a espontaneidade; as aparências assumem o lugar das transparências; os sacrifícios são mais importantes do que a obediência aos mandamentos; os rituais são suficientes para comprar o favor de Deus; a verdade tem sido sufocada pelo engodo; o povo se mostra rebelde – não aceita a disciplina; não guarda os mandamentos e por isso perde de vista o sucesso, o êxito, e passa a experimentar a Justiça, o castigo de Deus.
Quando o castigo é inevitável?

1 – Quando falta Arrependimento(v. 6).
Quando falta mudança de rumo; mudança de direção. Quando o povo insiste em continuar convivendo amigavelmente com o pecado. Apostatando-se corriqueiramente da fé; permanecendo no erro, na impenitência; na falha; ignorando os mandamentos do Senhor.
Não adianta reformar atitudes, sem mudança no coração. Isso é ilusão, utopia, É fantasiar uma espiritualidade exterior, aparente que não corresponde aos anseios de Deus. Pousar de santinho, alterar o comportamento, não é evidencia de transformação, é religiosidade! Somente o arrependimento pode causar metamorfose, mudança de vida. Lança fora essa vida dúbia; olha para dentro de você! Humanamente falando quem sabe você parece ser ovelha; tem as características de ovelha; tem o potencial de ovelha, mas o seu coração é de lobo. É obstinado, é incircunciso. Não tem parte com Deus. É inimigo de Deus.
Muitos estão rasgando vestes, e não corações! Muitos estão dobrando joelhos, e não o espírito diante de Deus; muitos sentem grandes emoções, sem ter grandes reflexões; muitos sentem medo do juízo, sem odiar o pecado.
Você precisa mudar! Você precisa se arrepender! Como o filho pródigo, que caiu em si, e voltou para os braços do Pai; Arrepender-se como Saulo de Tarso, que era perseguidor e tornou-se perseguido; Arrepender-se como Pedro, que negou a Jesus, mas chorou amargamente. Chore os seus pecados. Lave a sua alma nas vestiduras de Jesus. Arrepende-te antes que seja tarde demais.

2 – Falta de Reconhecimento da Soberania de Deus. (v. 7)
Meu povo está louco! Age como se não me conhecesse. Não me compreende! Até a cegonha no céu conhece o seu tempo; as andorinhas observam o tempo da sua volta; “o boi conhece o seu possuidor, e o burro a cocheira do seu dono, mas Israel não conhece nada! O meu povo não entende”. (Isaías 1: 3).
É impressionante, meus irmãos, como o povo não conhecia o Deus a quem servia. Passaram 40 anos no deserto vendo s maravilhas acontecendo; vendo Deus operando; contemplando o sobrenatural, mas agia como se não o conhecesse. As atitudes do povo demonstravam ignorância acerca do seu Ser – é como Jesus disse a Felipe “Andas há tanto tempo comigo e não me conhecesses”.
Muitas vezes as nossas ações revelam a nossa ignorância acerca de Deus. ; a nossa falta de conhecimento da sua pessoa. Se realmente conhecêssemos a Ele como Ele é, eu tenho certeza que as nossas vidas seriam bem diferentes destas que hoje vivenciamos. Seria uma vida de novidade; uma vida de plenitude; uma vida de regozijo; uma vida de confiança e fé, como a de Daniel.
Daniel reconhecia a soberania de Deus na sua vida (Dn 3:15-18)– quando foi submetido á fornalha disse Nabucodonosor: Quem é o deus que vos livrará das minhas mãos? Disse Daniel: quanto a isso não precisamos responder, pois o nosso Deus vai nos livrar da fornalha de fogo e das tuas mãos, ó Rei. Esse era o Deus de Daniel – O Deus que passeia conosco nas fornalhas da vida; um Deus que nos livra das garras dos nossos adversários; um Deus poderoso, Soberano; Excelso e que reina para todo o sempre. E o teu Deus Reina? Quem é o Rei da Glória? O Senhor dos Exércitos, Ele é o Rei da Glória.
Calebe reconhecia a soberania de Deus na sua vida – quando foi avistar a terra, juntamente com outros, ele contemplou gigantes, povos guerreiros, adversários perigosos e retornando os espias disseram a Josué: Não conseguiremos; eles são mais fortes do que nós; é uma guerra suicida; fiquemos por aqui; não avancemos! Mas Calebe dá um grito e faz calar a multidão dizendo: Subamos e possuamos a terra, porque certamente prevaleceremos contra ela (Nm. 13:30). Havia um Espírito diferente em Calebe, este era o Espírito de Deus e só nele conseguimos não temer gigantes, enfrentar desafios, obstáculos. Calebe não conhecia apenas as promessas do Senhor, ele conhecia o Senhor das promessas e sabia que ele jamais falha, com certeza, o que dava a ele a convicção, era que os gigantes, que estavam habitando na terra, que pertencia a ele, já eram velhos conhecidos seus, eles já tinham guerreado lá atrás.
Como você se sente diante dos gigantes? Como gafanhoto?Pequeno, frágil? Achando que não vai conseguir? Assim como você se imagina, você será. Quem é o seu Deus? Se for o Deus de Calebe é o Deus que nos ajuda a vencer os gigantes! Aleluia!
Reconheça que Deus é o Senhor da Tua vida! Reconheça que Ele é o Rei da Glória! O Deus forte; o Soberano, o Emanuel o Deus que vive entrenós e em nós.

3 – Falta de Humildade (vs.8,9)
“Somos sábios, a lei de Deus está conosco”.
Eu sei tudo; não mais preciso aprender nada; Já tenho o conhecimento necessário; Sei o que deve fazer; não preciso de conselhos; sei andar sozinho; não preciso da ajuda de ninguém; Não sou carnal como os outros... O Povo se sentia onipotente; imbatível; Independente de Deus; acreditando na sua própria sabedoria, que diz a bíblia que a sabedoria humana, animal é carnal demoníaca (Tg. 3:14,15). Quanto maior você se sentir, maior também será a sua queda! Não confie em si mesmo; você pode acabar se estribando no seu próprio conhecimento. A arrogância e a presunção aguçam a ira de Deus. Não se exalte; não viva contando vantagens, antes se humilhe diante do Senhor, nessa noite e reconheça que sem ele você nada pode fazer; que sem ele sua vida está perdida, sem rumo e sem direção. Confesse a sua dependência de Deus! Deixe o Cristo crescer na sua vida, a fim de que o seu ego diminua a cada dia. Lembre-se: Deus exalta os humildes e resiste aos soberbos.

4- Falta de Sinceridade (v.10)
“Usam de falsidade”.
Engodo; mentiras; hipocrisia. Era assim que o povo agia com Deus. Sempre tentando engana-lo e deixa-lo alheio de situações que aparentemente estavam camufladas. Como se Deus se deixasse enganar; ludibriar.
Eu acho que muitas pessoas acreditam, piamente, que podem enganar a Deus. Isso porque usam de dissimilação; moqueiam suas iniqüidades; colocam panos quentes nos delitos; mascaram a verdade como se Deus não estivesse vendo todo esse teatro; todo esse espetáculo de amador, porque se tem alguém profissional na arte de conhecer o oculto, o desconhecido, o misterioso , esse é Deus. Ele vê o que o os homens não conseguem enxergar.
Sendo assim, eu lhe aconselho nessa noite a usar de sinceridade para com Deus. De expressar verdadeiramente o teu estado de alma; de parar de viver encenando uma vida que você não possui; de se libertar das algemas da aparência e libertar esse coração que está desejoso de se encontrar com a verdade e experimentar uma nova vida que se reveste de autenticidade e que nos leva a pensar como Paulo: Miserável homem que sou, mas pela graças de Deus eu sou o que sou. Você pode falar isso hoje ? Você se sente justo ou pecador diante de Deus? Você pode render graças pela vida que tem levado? Você tem experimentado essa magnífica graça? Abra seu coração para Deus e diga: Agora sim, pela graça de Deus eu sou o que sou!
Sem arrependimento, reconhecimento, humildade e sinceridade, certamente as nossas almas correm o risco de serem punidas pelo Senhor. Mas se nos curvarmos diante da sua presença experimentaremos a sua salvação.

Nenhum comentário: